quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Bebedor de cerveja



1.
Tenho medo que a eternidade me dê mais trabalho: apagar incêndio das estrelas, arrumar coisas flutuantes, remover a poeira do cosmo, lavar vidraças e polir os metais do universo.

2.
Serviçal e bebedor de cerveja sentado nos anéis congelados de Saturno, avistando os bares decadentes da terra onde tanto me embriaguei.

3.
Eternidade não pode ser de tédio, senão vou abrir um botequim: o Pequeno Príncipe será entregador de Devassas, Bohemias e aguardentes; ele que sabe bem as rotas  das estrelas... Rapidamente, um bisaco de coisas sobre o balcão de gelo. Eu e o príncipe seremos garis das avenidas celestes.

Imagem:cienciasaqui.blogspot.com

3 comentários:

  1. Não, nenhum trabalho: apenas suportar o tédio de ser eterno...

    ResponderExcluir
  2. Mas já penso num amigo comum: O Pequeno Príncipe. "Algumas cervejas em qualquer bar da terra". E o príncipe vai, voando...rsssss. Até breve

    ResponderExcluir
  3. Nobre Palmeirense, pensamentos profundos... assim caminha a humanidade!!

    sds
    Bj

    ResponderExcluir